Tempo de leitura 4 minutos

A alergia é uma doença sistêmica que afeta o corpo como um todo, causada por fatores ambientais e/ou alimentares. Ela pode causar muitas complicações nas pessoas diagnosticadas. Felizmente, devido ao avanço da medicina, quando o tratamento é iniciado precocemente ou preventivamente, os pacientes convivem bem com essa condição.

Para destacar sua importância, existe o Dia Mundial da Alergia, celebrado em 8 de julho. Esse dia tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre essa condição clínica, apresentando os tratamentos disponíveis e desmistificando alguns conceitos.

Principais Causas de Alergia

A alergia ocorre quando o antígeno entra em contato com o organismo do indivíduo. Isso pode acontecer de várias formas, como por alimentos, fatores do ambiente, cosméticos, entre outros. As fontes alimentares mais comuns de alergia incluem camarão, chocolate, carne de porco, amendoim, nozes, entre outros. No contexto ambiental, poeira, pólen, pelos de animais domésticos são frequentemente os causadores.

Importante mencionar as reações alérgicas do tipo cruzada. Ou seja, indivíduos que têm sensibilidade às oleaginosas (nozes e castanhas) podem manifestar sintomas ao consumirem soja, por exemplo. Quando o indivíduo entra em contato com esses antígenos, pode desenvolver uma reação mediada pelo anticorpo IgE, resultando em sintomas como constrição dos vasos sanguíneos, falta de ar devido ao fechamento da glote, entre outros sintomas mais intensos.

Sintomas da Alergia

Ao entrar em contato com o antígeno alergênico, o indivíduo pode apresentar muitos espirros e coriza, caso tenha alergia a pólen, poeira ou pelos de animais. Se a alergia for alimentar, é provável que o corpo apresente vermelhidão, inchaço, coceira e distúrbios abdominais, como diarreia e vômitos, evoluindo para fraqueza e indisposição.

Algumas pessoas têm alergia a medicamentos como dipirona, metoclopramida e certos antibióticos, podendo manifestar reações anafiláticas graves, necessitando de suporte hospitalar urgente.



Ocorrência por Idade

Entre os primeiros três anos de vida, predominam as reações alérgicas cutâneas e alimentares, causadas, por exemplo, pela ingestão de clara de ovo, trigo, soja, frutas cítricas e oleaginosas. Entre os três e sete anos, são mais frequentes as alergias respiratórias, com destaque para a asma. Na adolescência, as alergias do tipo rinite são comuns, desencadeadas por poeira, pelos de animais, ácaros e fungos, causando coriza intensa.

Diagnóstico da Doença

A alergia é uma doença multicausal, e a primeira observação dos sintomas recorrentes geralmente vem dos familiares ou do próprio indivíduo. O médico vai verificar reações clínicas e analisar exames físicos, além de verificar antecedentes familiares de alergia. Exames para checar dosagem de IgE e testes cutâneos, como o teste de Prick, são utilizados para identificar os alérgenos específicos.

Tratamento da Alergia

O tratamento da alergia começa pela eliminação da exposição ao alérgeno, principalmente nos casos de medicamentos. Substituição de produtos com a mesma ação farmacológica é indicada, mas deve ser realizada com orientação médica. Para alergias ambientais, existem medicamentos que tratam os sintomas, como descongestionantes nasais e anti-histamínicos, usados com cautela e recomendação profissional para evitar toxicidade ou falha de efeito.

Para alergias cutâneas, loções e pomadas prescritas por especialistas são eficazes. Uma das grandes promessas atualmente são as vacinas, consideradas tratamento imunoterápico, funcionando como um dessensibilizador do sistema de defesa. Essa terapia deve ser bem discutida com o médico, pois é um tratamento em longo prazo com resultados variados entre as pessoas.

A alergia é uma doença que pode aparecer na infância ou desencadear reações na fase adulta. Compreende um conjunto de sintomas decorrente da exacerbação de uma resposta imunológica, sendo considerada uma reação adversa não previsível. O diagnóstico e o tratamento precoces são fundamentais para melhorar a qualidade de vida do paciente.