Tempo de leitura 5 minutos

Você sabia o que é esofagite? A esofagite é uma condição médica caracterizada pela inflamação do esôfago, o tubo muscular que conecta a boca ao estômago. O esôfago desempenha um papel crucial no processo de digestão, permitindo que os alimentos ingeridos se movam da boca para o estômago por meio de contrações musculares coordenadas, conhecidas como movimentos peristálticos. A inflamação do esôfago geralmente é causada por irritações crônicas do tecido esofágico. Uma das causas mais comuns é o refluxo gastroesofágico (RGE), onde o ácido estomacal flui de volta para o esôfago. Outras causas incluem infecções, alergias alimentares, ingestão de substâncias corrosivas, uso prolongado de certos medicamentos e condições autoimunes.

Demonstração de Esofagite.

Quais São As Causas Comuns?

As causas mais comuns da esofagite são:

1. Refluxo Gastroesofágico (RGE): o refluxo ácido é uma das principais causas de esofagite. Quando o ácido do estômago retorna ao esôfago regularmente, pode causar inflamação e danificar o revestimento do órgão.

2. Infecções: certas infecções, como aquelas causadas por fungos, bactérias ou vírus, podem levar à esofagite. Candidíase, herpes e citomegalovírus são exemplos comuns.

3. Medicamentos: o uso prolongado de certos medicamentos, como anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) e alguns antibióticos, pode aumentar o risco de desenvolver esofagite.

Sintomas

Os principais sintomas da esofagite incluem:

  1. Dor ao Engolir: Pode haver uma sensação de dor ou desconforto ao engolir alimentos ou líquidos.
  2. Azia Persistente: Uma sensação de queimação no peito, muitas vezes associada ao refluxo ácido.
  3. Regurgitação Ácida: O retorno de ácido estomacal para o esôfago, que pode ser percebido como um gosto amargo na boca.
  4. Dificuldade para Engolir: Também conhecida como disfagia, pode ser sentida como uma sensação de obstrução ao engolir.
  5. Dor no Peito: Pode ser confundida com dor cardíaca, mas geralmente é relacionada à inflamação esofágica.
Mulher com dor no estômago.

Tratamentos Para Esofagite

1. Mudanças no Estilo de Vida

  • Dieta balanceada e evitação de alimentos irritantes.
  • Evitar deitar imediatamente após as refeições.
  • Perda de peso em casos de sobrepeso.

2. Medicamentos

  • Inibidores de bomba de prótons (IBP) para reduzir a produção de ácido.
  • Antiácidos para aliviar sintomas temporários.

3. Terapias Invasivas

As terapias invasivas para o tratamento da esofagite geralmente são consideradas quando as medidas mais conservadoras, como mudanças no estilo de vida e o uso de medicamentos, não fornecem alívio adequado ou quando há complicações significativas. Abaixo estão algumas das terapias invasivas que podem ser consideradas:

  1. Dilatação Esofágica:
    • Objetivo: Trata estreitamentos (estenoses) no esôfago, que podem ocorrer devido à cicatrização resultante da inflamação crônica.
    • Procedimento: Envolve o uso de um dispositivo médico (dilatador) para alargar a área estreitada do esôfago. Pode ser realizado durante uma endoscopia.
  2. Fundoplicatura:
    • Objetivo: Principalmente usado para tratar o refluxo gastroesofágico crônico.
    • Procedimento: Durante uma cirurgia, o cirurgião envolve a parte superior do estômago em torno da parte inferior do esôfago para reforçar o esfíncter esofágico inferior, reduzindo assim o refluxo ácido.
  3. Procedimentos Anti-refluxo:
    • Objetivo: Reduzir o refluxo de ácido do estômago para o esôfago.
    • Técnicas: Além da fundoplicatura, outros procedimentos podem ser realizados, como a inserção de um anel magnético (LINX) ao redor do esfíncter esofágico inferior para evitar o refluxo.
  4. Ablação por Radiofrequência (Stretta):
    • Objetivo: Tratar o refluxo ácido crônico.
    • Procedimento: Utiliza energia de radiofrequência para criar pequenas lesões no músculo do esfíncter esofágico inferior, ajudando a fortalecer e reduzir o refluxo.
  5. Esfincterotomia:
    • Objetivo: Tratar estreitamentos esofágicos ou espasmos musculares.
    • Procedimento: Envolve o corte do músculo esofágico (esfincter) durante uma endoscopia, proporcionando alívio da disfagia.
  6. Procedimentos Endoscópicos para Tratar Varizes Esofágicas:
    • Objetivo: Tratar complicações da esofagite, como varizes esofágicas, que podem sangrar.
    • Procedimento: Inclui técnicas como ligadura elástica ou injeção de substâncias esclerosantes para interromper o sangramento.

Essas terapias invasivas são geralmente realizadas por gastroenterologistas especializados em endoscopia terapêutica ou cirurgiões especializados em procedimentos relacionados ao esôfago. A escolha da terapia dependerá da gravidade da esofagite, das condições subjacentes e da resposta aos tratamentos menos invasivos. Sempre é recomendado discutir as opções disponíveis com um profissional de saúde para determinar a abordagem mais adequada para o caso específico.

Prevenção

  • Manter um peso saudável.
  • Evitar alimentos desencadeadores.
  • Moderar o consumo de álcool e tabaco.

Com Isso, Concluímos que:

A esofagite é uma condição tratável, mas a chave está na identificação precoce e na adoção de medidas preventivas. Se você suspeita de esofagite, consulte um profissional de saúde para um diagnóstico adequado e um plano de tratamento personalizado.

Lembre-se, este blog é apenas informativo. Consulte sempre um profissional de saúde para orientação específica sobre seu caso.