Tempo de leitura 3 minutos

Julho é o mês dedicado à luta contra as hepatites virais, uma campanha instituída no Brasil pela Lei nº 13.802/2019. Essa iniciativa visa reforçar as ações de vigilância, prevenção e controle dessas doenças, que podem causar sérios danos ao fígado e são responsáveis por uma significativa carga de morbidade e mortalidade global.

Hepatite significa inflamação do fígado e pode ser causada por diferentes fatores, incluindo vírus, uso abusivo de álcool, medicamentos e outras substâncias tóxicas, bem como por condições autoimunes, metabólicas ou genéticas. Muitas vezes, a hepatite viral não apresenta sintomas evidentes, mas quando manifesta, os sinais incluem cansaço, febre, mal-estar, tontura, náusea, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

Tipos de Hepatite Viral e Suas Características

  • Hepatite A: Geralmente associada às condições de saneamento básico e higiene pessoal, esta forma da doença é frequentemente leve e resolve-se espontaneamente. A vacinação é a principal medida de prevenção.
  • Hepatite B: Esta é a segunda forma mais comum e pode ser transmitida sexualmente ou pelo contato com sangue infectado. A vacinação, combinada com o uso de preservativos, oferece boa proteção.
  • Hepatite C: Conhecida por sua transmissão primária através do contato com sangue, não existe vacina para a Hepatite C, que é uma causa principal para transplantes de fígado e pode evoluir para cirrose ou câncer hepático.
  • Hepatite D: Ocorre apenas em pessoas já infectadas pelo vírus da Hepatite B. A vacinação contra a Hepatite B também oferece proteção contra o vírus D.
  • Hepatite E: Transmitida por via fecal-oral, principalmente em regiões com condições precárias de saneamento. Embora geralmente não seja crônica, pode ser grave em mulheres grávidas.

Medidas de Prevenção

  • Hepatite A e E: A prevenção inclui vacinação (para Hepatite A), uso de água tratada, práticas adequadas de higiene, e cuidados com o consumo de alimentos, especialmente em áreas com saneamento deficiente.
  • Hepatite B, C, e D: Além da vacinação para B e D, é crucial evitar o compartilhamento de objetos cortantes, o uso seguro e higienizado de equipamentos médicos e para tatuagens, e práticas seguras de sexo, incluindo o uso de preservativos.

A campanha Julho Amarelo é um lembrete vital da importância de se proteger contra as hepatites virais. Com a adoção de medidas preventivas adequadas e a participação em programas de vacinação, podemos reduzir significativamente a incidência dessas doenças. Além disso, a conscientização e educação sobre as hepatites são fundamentais para eliminar o estigma associado a essas condições e para encorajar as pessoas a procurarem diagnóstico e tratamento adequados.